#Especial - 5 livros sobre Empoderamento Feminino


Selecionamos 10 livros (alguns lidos e outros não) que definem lindamente o empoderamento feminino. Obras de mulheres inspiradoras e a frente de seus tempos. Vale a pena a leitura,



5. Reivindicação dos Direitos das Mulheres. O Primeiro Grito Feminista - Mary Wallstone, 1792.


Reivindicação dos direitos da mulher


Primeira obra feminista da história. Publicado em 1792, apesar de ainda não haver o termo "feminismo" Mary Wollstonecraft soube exatamente como tratar sobre a desigualdade de gênero, a emancipação política e falta de acesso a educação formal ás mulheres do século XVIII. 


 Resultado de imagem para Mary Wollstonecraft
Notas sobre a autora: Nascida em 1729 e defensora do direito das mulheres, Mary Wollstonecraft Godwin faleceu 10 dias após o nascimento da sua primeira filha a autora de "Frankestein" Mary Shelley não podendo ver o sucesso que a filha conquistou. Filósofa e escritora, Wollstonecraft era também defensora do amor livre, escreveu outros romances e até livros infantis. Após sua morte, o viúvo William Godwin, um dos percursores do movimento anarquista, publicou uma biografia pouco ortodoxa o que a deixou com uma péssima reputação por quase um século.



4. A Guerra Não Tem Rosto de Mulher - Svetlana Aleksiévitch, 1985.


Livro que concedeu o prêmio nobel de literatura em 2015 à Svetlana Aleksiévitch, a obra "A guerra não tem rosto de mulher" retrata fortemente a segunda guerra mundial dando voz as mulheres soviéticas que a presenciaram, lutaram e sofreram, destruindo o estereótipo de sexo frágil. Nos traz relatos de mulheres que estavam diretamente nos campos de batalha tanto em atividades médicas quanto lutando com armamento pesado, mostra seus sacrifícios, angústias, abusos, percepções de vida e morte, e claro, sua coragem. 
"Sinto que vivi duas vidas: uma de homem e outra de mulher." - relata Stanislava,(pg.240)
"Voltei da guerra com cabelos brancos, 21 anos…" - relata Klávdia (pg.53)
"os homens eram vencedores, heróis, noivos, a guerra era deles; já para nós, olhavam com outros olhos." - diz Valentina (pg.156).

 Foto -Svetlana Alexandrovna AlexievichNotas sobre a autora: Renomada escritora ucraniana, Svetlana Alexandrovna Aleksiévitch nasceu em 31 de maio de 1948 e se formou em jornalismo em 1967, é ganhadora de prêmios como Nobel de literatura (2015 com o livro acima) e National Book Critics Circle Award- categ. Não Ficção (2005, com o título "Vozes de Tchernóbil - A história oral do desastre nuclear".


3. Um Teto Todo Seu - Virginia Woolf, 1929.

Resultado de imagem para Um teto todo seu
Uma reflexão acerca das condições sociais da mulher, sua influência na produção literária feminina e a igualdade de gênero. "Um teto todo seu e quinhentas libras por ano" essas eram, segundo a autora inglesa, as condições básicas necessárias para que uma mulher, entre os séculos XIX e XX, pudesse escrever ficção. Virginia Woolf questiona sobre as possíveis razões que, por tanto tempo, afastaram as mulheres de um lugar de reconhecimento e principalmente, de produção literária. Uma leitura envolvente e inspiradora, nos deixa refletindo por dias. 


Notas sobre a autora:
Adeline Virginia Woolf, britânica nascida em 1882, suicidou-se em 1941 com 59 anos. Editora e escritora romancista e ensaísta, famosa por suas obras com questões políticas, sociais e feministas. Uma mulher totalmente a frente de seu tempo com uma visão extraordinária da sociedade.
"Não há barreira, fechadura ou ferrolho que possas impor à liberdade da minha mente" 



2. A Cor Púrpura - Alice Walker, 1982.

Resultado de imagem para a cor purpura livro
O romance "A cor púrpura" tornou-se um dos maiores títulos de toda a história da literatura, conquistando prêmios para a autora Alice Walker como: Pulitzer: Melhor ficção (1983)National Book Award: Ficção (1983) e mais tarde com o de melhor filme em 1985 no National Board id Review. Nos apresenta a dura história de Celie, narrada através das cartas da personagem, o livro nos introduz de uma maneira tão intensa em cada situação vivida entre preconceito, racismo e abusos nos ajudando a compreender que nunca devemos parar de lutar. 

Resultado de imagem para alice walker Notas sobre a autora: Alice Malsenior Walker, escritora e ativista feminina nasceu em 1944 e atualmente mora na Georgia, EUA. Sua primeira obra foi a série de poesias "Once", A autora escreveu também o livro De amor de desespero, uma obra composta pelas vozes de várias mulheres negras do sul dos EUA. O livro é uma coletânea de vários contos, nos quais conhecemos mulheres diferentes com seus temores, desafios e sonhos.
"Não pode ser seu amigo, quem exige seu silêncio ou atrapalha seu crescimento" 




1. O Segundo Sexo (I e II) - Simone de Beauvoir, 1949.
Imagem relacionada

Nessa obra a autora francesa mostra como a concepção "ser mulher" foi construída historicamente com base em estudos, pesquisas e observações. Dividido em 2 partes: volume I "Fatos e Mitos" e volume II "A experiência vivida". No primeiro ela traz a tona todos os mitos e verdades acerca da condição feminina numa reflexão geral, e no segundo analisa as condições da mulher em todas as suas dimensões "sexual, psicológica, social e política". 
"Não basta ter um corpo de mulher, nem assumir como amante, como mãe, a função de fêmea para ser 'uma mulher de verdade' através da sexualidade e da maternidade, o sujeito pode reivindicar sua autonomia. ' a verdadeira mulher é que se aceita como Outro. Há uma atitude dos homens de hoje uma duplicidade que cria na mulher um dilaceramento doloroso; eles aceitam em grande medida em que a mulher seja um semelhante, uma igual; e, no entanto, continuam a exigir que ela permaneça o inessencial; para ela, esses dois distintos não são conciliáveis; ela hesita entra um e outro sem se adaptar exatamente a nenhum e daí sua falta de equilíbrio." (Pg. 308)
Fascinante!

Resultado de imagem para Simone de BeauvoirNotas sobre a autora: Simone Lucie-Ernestine-Marie Bertrand de Beauvoir, nasceu na França em 1908. Escritora, filósofa existencialista, ativista, feminista e teórica social, faleceu em 1986. 


“Querer ser livre é também querer livres os outros”
“O opressor não seria tão forte se não tivesse cúmplices entre os próprios oprimidos”
“Ninguém nasce mulher: torna-se mulher”










4 Comentários

  1. Quantas sugestões bacanas! São livros de mulheres maravilhosas que marcaram época. Ícones do empoderamento feminino!

    ResponderExcluir
  2. Que bacana os livros, vou colocar na minha listinha. Uns beijos 😘 https://thalitarosan.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. Muito boas sugestões! E o que mais me agrada é o facto de serem todos tão antigos e marcantes!

    http://me-myself-and-her.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir
  4. Desses livros eu confesso que só conheço o 2 e o 4...Mas me interessei muito pelos os outros e já estão na minha lista de compras...Rsrs
    Esse tema muito me interessa, amei seu post☺☺☺

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário aqui!